Entrando no mundo da Lua com o Corona SDK

O acaso e seus truques! Logo após o inicio da Lune, fui “forçado” a aprender Lua, juntamente com o Corona SDK, por exigência de um cliente. Afinal, quando a oportunidade bate na nossa porta, deixamos ela entrar e servimos uma xícara de café. É um pouco estranho mudar de linguagem depois de dois anos trabalhando, praticamente só com ActionScript, mas desafios são bem vindos. Já passei por isso antes e é sempre bom aprender algo novo e sair da zona de conforto.

A linguagem Lua foi criada em 1993 pela PUC-Rio e é mantida até hoje pela mesma. Em 1997 a LucasArts lançou Grim Fandango e foi a primeira notícia que se teve do uso da linguagem em jogos, desde então já foi usada em outros jogos, como por exemplo, World of Warcraft e Angry Birds. Trata-se de uma linguagem procedural, com tipagem dinâmica (ou seja, sem a necessidade de definir os tipos das variáveis), com uma estrutura de dados baseadas em tabelas.

Apesar da desconfiança inicial, o Corona SDK se mostrou uma ferramenta poderosa na construção de aplicativos/jogos multiplaformas. Na minha opinião a agilidade é o seu ponto forte, em poucos minutos é possível ter resultados visuais. Além de possuir um simulador próprio, controle de cenas, vários plugins, uma boa documentação e tudo isso de graça.

Jogo feito no CoronaSDK para várias plataformas

Resumindo, em menos de um mês, sem nenhuma experiência com a linguagem e o SDK, o primeiro jogo foi desenvolvido com um resultado gratificante e muitos outros projetos surgiram desde então. E em futuros posts espero compartilhar com vocês um pouco do que aprendi.